Kaph

From Wiki
Jump to: navigation, search
Posição no Lamen
Posição na Árvore
Arcano da Roda da Fortuna
  • Título: O Pai de Todos.
  • Inteligência: Inteligência Conciliatória.
  • Posição: Une as Sephiroth Chesed a Netzach.
  • Significado: ovo.
  • Valor Gematrico: 20.
  • Anjo: Tzadkiel.
  • Qliphoth: Kurgasiax.
  • Runa: Jera.
  • Cor: Violeta.
  • Incenso: alçafrão.
  • Animais: águia.
  • Seres lendários: íncubbus, nightmares.
  • Pedras: ametista, lapis-azuli.
  • Plantas: figo, arnica, thyme.
  • Árvore: Holly.
  • Correlação: Júpiter.
  • Arcano do tarot: A Roda da Fortuna.
  • Correspondência no corpo humano: sistema digestivo.
  • Doenças: gota.
  • Poderes: poderes de controle político e social.
  • Símbolos: Cetro.
  • Rituais: o estudo do karma e reencarnação.

Descrição

O Caminho 21º é da INTELIGÊNCIA CONCILIATÓRIA E DA RECOMPENSA e é chamado porque recebe a influência divina que flui dentro dele e de suas bênçãos sobre tudo e cada existência.

A trajetória deste caminho se realiza por intermédio do misticismo da natureza e das artes, considerados em seus mais puros e mais elevados aspectos, fundados em uma fé natural cuja inspiração vem da beleza e harmonia do Logos refletidos no Universo. São o mais espiritualizadas emoções de Netzah que levam ao caminhante desta senda rumo às imagens abstratas de Hesed, impresso pela ação do Logos.

O aspecto governamental de Chesed se vincula ao domínio das emoções instintivas, baixas paixões que vêm das forças desequilibradas de Netzah. A iniciação de Hesed libera ao iniciado das limitações das esferas, da ilusão dos níveis inferiores.

O planeta Júpiter dá para o significado espiritual deste Caminho, indiretamente vinculado com o elemento fogo; se refere às características governamentais impondo um domínio tranqüilo, sábio e pacífico. Este planeta é considerado pela Astrologia, "A Grande Fortuna." É um princípio de afirmação, coesão, conciliação que bem caracteriza a teoria deste Caminho - Senhor das Forças da Vida -, título do X Arcano, a Roda da Fortuna. Este Arcano é figurado como uma roda presa a duas colunas por um eixo. O gênio do bem está à direita que faz um esforço para alcançar o ponto mais alto; à esquerda, o gênio do mal se precipita abaixo. No alto da roda, a esfinge se equilibra com uma espada entre as garras.

A Roda da Fortuna se relaciona com a lei ciclica dos nascimentos e mortes, como também a Roda das Reencarnações, outro título do X Arcano, em outras versões do Tarot. O impulso brusco ou gradual da Individualidade sobre a personalidade na procura do Gral Sagrado, também é cíclico. Esta busca, na maioria das vezes, consiste em algo que sabe interiormente, mas não sempre externamente. Surgem Idéias e aspirações que induzem o ser ao interesse metafísico.

A tendência da Individualidade, bem como a da personalidade, é escapar da dor e frustrações que a vida terrestre freqüentemente proporciona. Muitas divergências nascem desta tentativa de fuga do renascimento, temendo a vida física. Pelas experiências chegadas de personalidades sucessivas, a Individualidade vai desenvolvndo maior capacidade para corrigir sua imagem desviada em Hesed, a retificando e a aproximando ao ideal divino por ela, porque é percebido como Deus a vê.

A letra Kaph simboliza a palma da mão no ato de tomar alguma coisa e a reter, o que é harmonizado com o sentido do texto yetzirático; também tem o significado de assimilação, afinidade, molde de objetos. Esotéricamente representa a vida refletida e passageira pregadas na cruz da matéria física.

A finalidade da busca é a de preparar ao iniciado não só pára a vida mundana, mas também para a espiritual, para o serviço e colaboração no Plano do Logos.

As monadas, ao entrar na evolução, vieram como um objetivo, um destino que no momento a personalidade não conhece; isto significa que tem uma função a realizar no Grande Trabalho.

Quando a aura, tecnicamente chamada Esfera de Sensação, se apresenta mais brilhante, o indivíduo começa a ser observado e auxiliado pelos Mestres da Sabedoria. O Mestre não é procurado, ele aparece para juntar o maior número possível de pessoas capazes de desempenhar um papel no Plano Divino. O relacionamento vertical entre o aluno e o Mestre, personalidade e Individualidade, leva ao verdadeiro significado do sacerdócio, e o objetivo da magia inteira é agir como um canal das fontes cósmicas e um serviço desinteressado pelo próximo, empregando nisso todos os seus talentos e capacidades.

A Individualidade ainda não realizada fora, sonha com as suas aspirações não completadas; deste modo fabrica o seu carma. É como também sonha e projeta a personalidade. Os sonhos correspondem ao conteúdo do inconsciente da Individualidade. A Individualidade precisa de conscientizar seu inconsciente para assim retificar e compensar suas imperfeições. É o destino da Individualidade adquirir experiências do plano terrestre. Por isso o plano físico, chamado maia, é do mais alto interesse para o homem; neste nível pode ser levado a cabo e verificar o que é acreditado em outros planos. O plano físico, por ser o mais simples, sem muitas modificações como o emocional e o mental, se presta por excelência para a ação experimental. Se não fosse o plano físico, você não poderia verificar o que é acreditado no plano mental. É necessário, pois aprender a dominar a matéria física. Este é o plano em que há liberdade de ação maior onde, porém, o sofrimento é mais intenso. Aceitando certos acontecimentos e tendo um bom sentido para introduzir na vida mudanças, o ser estará em condições de prosseguir o seu Caminho sem muitos acidentes ou tristezas. Não se opor ao que considera maligno, que é a chave.

Links Externos

  • [1] - Texto Original

Kabbalah