Difference between revisions of "Jacopo Bellini"

From Wiki
Jump to navigationJump to search
Line 4: Line 4:
  
 
Jacopo foi aluno de [[Gentile da Fabriano]]. Depois foi para Florença, onde conheceu os novos trabalhos de [[Filippo Brunelleschi]], [[Donatello]] e [[Masaccio]]. Abriu uma oficina em 1424, que administrou até sua morte.
 
Jacopo foi aluno de [[Gentile da Fabriano]]. Depois foi para Florença, onde conheceu os novos trabalhos de [[Filippo Brunelleschi]], [[Donatello]] e [[Masaccio]]. Abriu uma oficina em 1424, que administrou até sua morte.
 +
 +
==Biografia==
 +
 +
Nascido em Veneza, Jacobo foi aluno de [[Gentile da Fabriano]]. Em 1411-1412, ele esteve em Foligno, onde com Gentile, trabalhou nos afrescos do Palazzo Trinci. Em 1423, Bellini  conhece, em Florença, os novos trabalhos de Brunelleschi, Donatello, Masolino da Panicale e Masaccio.
 +
Em 1424 abre uma oficina em Veneza, que funcionou até sua morte.
 +
 +
Muitas de suas maiores obras desapareceram. Em 1441, a serviço de Leonello d'Este, ele pintou um retrato desse Marquês, agora perdido. A Madonna dell'Umiltà é deste período, provavelmente encomendada por um dos irmãos de Leonello.
 +
 +
Os temas do inicio da Renascença são visíveis na Madonna (datada de 1448) na Pinacoteca di Brera: pela primeira vez, a perspectiva está presente e as figuras são mais monumentais. Também contribuiu com trabalhos nas igrejas venezianas de San Giovanni Evangelista (1452) e na basílica de São Marcos (1466).
 +
 +
Mais tarde, ele permaneceu temporariamente em Pádua, onde treinou o jovem Andrea Mantegna. Em 1460, terminou um retrato de Erasmo Gattamelata, agora perdido. De sua fase tardia, apenas permanecem um Crucifixo em ruínas no Museu de Verona e uma Anunciação em Sant"Alessandro de Brescia.
 +
 +
Poucas de suas pinturas ainda existem, mas seus cadernos (um no Museu Britânico e outro no Louvre) mostram um interesse em panorama e elaborados projetos arquitetônicos que são seu principal legado. Seus trabalhos que sobrevivem mostram como ele acomodou perspectiva linear para os padrões decorativos e cores ricas da pintura veneziana.
 +
  
 
[[category:Ocultistas]]
 
[[category:Ocultistas]]
 
[[category:1301-1400]]
 
[[category:1301-1400]]
 
[[category:Renascença]]
 
[[category:Renascença]]

Revision as of 22:45, 9 November 2010

Jacopo Bellini (Veneza, c. 1396 - c. 1470) foi um pintor italiano. Jacopo foi um dos fundadores do Renascimento em Veneza e no norte da Itália. Seus filhos Gentile Bellini e Giovanni Bellini e seu genro Andrea Mantegna foram famosos pintores.

Sua obra se encontra no final do gótico internacional e no começo do renascimento italiano.

Jacopo foi aluno de Gentile da Fabriano. Depois foi para Florença, onde conheceu os novos trabalhos de Filippo Brunelleschi, Donatello e Masaccio. Abriu uma oficina em 1424, que administrou até sua morte.

Biografia

Nascido em Veneza, Jacobo foi aluno de Gentile da Fabriano. Em 1411-1412, ele esteve em Foligno, onde com Gentile, trabalhou nos afrescos do Palazzo Trinci. Em 1423, Bellini conhece, em Florença, os novos trabalhos de Brunelleschi, Donatello, Masolino da Panicale e Masaccio. Em 1424 abre uma oficina em Veneza, que funcionou até sua morte.

Muitas de suas maiores obras desapareceram. Em 1441, a serviço de Leonello d'Este, ele pintou um retrato desse Marquês, agora perdido. A Madonna dell'Umiltà é deste período, provavelmente encomendada por um dos irmãos de Leonello.

Os temas do inicio da Renascença são visíveis na Madonna (datada de 1448) na Pinacoteca di Brera: pela primeira vez, a perspectiva está presente e as figuras são mais monumentais. Também contribuiu com trabalhos nas igrejas venezianas de San Giovanni Evangelista (1452) e na basílica de São Marcos (1466).

Mais tarde, ele permaneceu temporariamente em Pádua, onde treinou o jovem Andrea Mantegna. Em 1460, terminou um retrato de Erasmo Gattamelata, agora perdido. De sua fase tardia, apenas permanecem um Crucifixo em ruínas no Museu de Verona e uma Anunciação em Sant"Alessandro de Brescia.

Poucas de suas pinturas ainda existem, mas seus cadernos (um no Museu Britânico e outro no Louvre) mostram um interesse em panorama e elaborados projetos arquitetônicos que são seu principal legado. Seus trabalhos que sobrevivem mostram como ele acomodou perspectiva linear para os padrões decorativos e cores ricas da pintura veneziana.