Difference between revisions of "Papa Alexandre VI"

From Wiki
Jump to navigationJump to search
(Created page with '200px|thumb|right|Papa Alexandre VI '''Alexandre VI''', nascido (Xàtiva, 1 de Janeiro de 1431 — Roma, 18 de Agosto de 1503) foi papa de 10 de Ag…')
 
 
Line 22: Line 22:
 
* '''Antecessor:''' [[Papa Inocêncio VIII]]
 
* '''Antecessor:''' [[Papa Inocêncio VIII]]
 
* '''Sucessor:''' [[Papa Pio III]]
 
* '''Sucessor:''' [[Papa Pio III]]
* '''Ordem:''' 215º
+
* '''Ordem:''' 215º Papa
  
 
[[category:Papas]]
 
[[category:Papas]]

Latest revision as of 17:14, 9 December 2010

Papa Alexandre VI

Alexandre VI, nascido (Xàtiva, 1 de Janeiro de 1431 — Roma, 18 de Agosto de 1503) foi papa de 10 de Agosto 1492 até a data da sua morte. Quando chegou à Itália, adotou o nome de Rodrigo Borgia, aportuguesado para Rodrigo Bórgia. O nome de sua família foi elevada à cátedra do Vaticano com a eleição do seu tio materno, Afonso Bórgia, como Papa Calisto III. Rodrigo Bórgia estudou Direito em Bolonha. Com a nomeação do tio para o papado, foi sucessivamente elevado a cargos de mais qualidade: bispo, cardeal e vice-chanceler da Igreja. Se tornou um grande diplomata após servir à Cúria Romana durante cinco pontificados, adquiriu experiência administrativa, influência e riqueza, mas não grande poder. A partir de 1470 ligou-se a Giovanna (Vanozza) Catanei, de quem nasceram seus filhos bastardos; teve ainda por amante Giulia Farnese, mulher de Orsino Orsini.

Elevação

Segundo rumores (embora sem nenhuma prova), Rodrigo Bórgia usou sua fortuna para comprar a maior parte dos votos dos cardeais quando se realizou o conclave para definir a sucessão do Papa Inocêncio VIII. O que ocorreu na verdade, segundo os historiadores, foi o fato de a maioria dos cardeais terem ele como melhor candidato devido às suas aptidões diplomáticas. No conclave houve três candidatos: ele próprio, Ascanio Sforza e Giuliano della Rovere. O conclave que o elegeu compunha-se de apenas 23 cardeais. Reuniram-se em agosto de 1492, na capela apelidada Capela Sistina, por ter sido construída pelo papa Sisto IV, adornada com obras-primas de Botticelli, Pinturicchio, Ghirlandaio e Michelangelo. A eleição foi definida na madrugada de 10 para 11 de agosto. A coroação se deu em 26 de agosto. Rodrigo Bórgia tinha 61 anos, e adotou o nome de Alexandre VI (em latim, Alexander VI).

Papado

O papado de Alexandre VI começou tranqüilo, mas não tardou para que se manifestasse sua ganância em sacrificar todos os interesses em favor da família. Nomeou Cardeais o seu filho de dezesseis anos, César Bórgia, os seus sobrinhos Francisco Borgia (cardeal) e Juan Lanzol de Bórgia de Romaní,, o maior, um primo deste último Juan Castellar y de Borgia(it. Giovanni), os seus sobrinhos-neto Juan Lanzol de Bórgia de Romaní, o menor, Pedro Luís de Borgia Lanzol de Romaní e Francisco Lloris y de Borgia e o cunhado do seu filho César, Amanieu d'Albret. César seria posteriormente retratado por Maquiavel em sua obra O príncipe como o ideal do político e governante pragmático.

Em 1494 sofreu tentativa de deposição (por causa de simonia e corrupção) da parte de prelados à frente dos quais aparecia o cardeal Della Rovere, futuro Papa Júlio II. Resistiu, mas continuou a praticar atos imorais, apesar da condenação que lhe dirigiam (entre outros, o padre Girolamo Savonarola).

Seu pontificado é um paradigma de corrupção papal ocasionada pela invasão secular dentro da Igreja, mais tarde esse fato foi tido como desculpa para a separação dos protestantes. Alexandre VI foi, sem dúvida, um papa corrupto, pouco dado às virtudes cristãs. Teve pelo menos sete filhos, entre os quais César e Lucrécia Bórgia. Lucrécia Bórgia, filha do Papa, com uma beleza exuberante dançava alegremente para os cardeais, foi acusada de ser "filha, esposa e nora" de seu pai pelo satírico Filofila, embora sem comprovações, pois este pertencia aos partidários da família Médici e manifestou o mesmo ódio que esta tinha contra os privilégios que o Alexandre concedera aos Bórgia. Durante seu pontificado, foram decretadas as Bulas Alexandrinas, tratados responsáveis pela divisão das possessões portuguesas e espanholas no mundo. Dentre eles, vale destacar as bulas Inter Coetera, Eximiae Devotionis e Dudum Siquidem. As negociações ibéricas iriam desembocar no famoso Tratado de Tordesilhas que confirmaria a divisão do mundo entre Portugal e Espanha e seria contestado por outros monarcas, dos quais o mais famoso foi Francisco I de Angoulême, rei da França.

Morreu subitamente, suspeitando-se que tenha sido envenenado por arsênico, adicionado à sua comida em um banquete – o que provocou o enegrecimento do cadáver e o inchaço do mesmo, já dentro do caixão, levando a que alguns assistentes tenham inserido o corpo num caixão maior. Seu funeral foi breve e sem grandes comemorações, tendo sido sepultado com a seguinte epígrafe em seu túmulo em Espanha: "Aqui Jaz Alexandre VI, que foi papa". O seu túmulo encontra-se na igreja de Santa Maria in Monserrato. Apesar de corrupto e dado às paixões, passou pela cadeira de Pedro, mas deixou a doutrina católica intacta.


  • Nome de nascimento: Rodrigo de Borgia
  • Nascimento: Valência, Espanha, 1 de Janeiro de 1431
  • Eleição: 11 de Agosto de 1492
  • Fim do pontificado: 18 de agosto de 1503 (72 anos)
  • Antecessor: Papa Inocêncio VIII
  • Sucessor: Papa Pio III
  • Ordem: 215º Papa