Difference between revisions of "Papa Pio X"

From Wiki
Jump to navigationJump to search
(Created page with ''''Papa Pio X''' (02 de junho de 1835 - 20 de Agosto de 1914), nascido como ''Giuseppe Melchiorre Sarto'', foi 257º Papa da Igreja Católica, servindo de 1903 até 1914, suc…')
 
Line 16: Line 16:
 
# ^ Kühner 183
 
# ^ Kühner 183
 
# ^ www.franciscan-sfo.org/fviews/pius_x.htm
 
# ^ www.franciscan-sfo.org/fviews/pius_x.htm
 +
 +
[[category:Papas]][[category:1801-1900]]

Revision as of 00:05, 29 October 2010

Papa Pio X (02 de junho de 1835 - 20 de Agosto de 1914), nascido como Giuseppe Melchiorre Sarto, foi 257º Papa da Igreja Católica, servindo de 1903 até 1914, sucedeu o Papa Leão XIII. Ele foi o primeiro papa desde Pio V a ser canonizada. Pio X rejeitou interpretações modernas da doutrina católica, promovendo práticas tradicionais de devoção e da teologia ortodoxa. Sua reforma mais importante foi a publicação do primeiro Código de Direito Canônico, que uniu as leis da igreja num único volume pela primeira vez. Ele foi um papa pastoral, incentivando a piedade e um estilo de vida que reflete os valores cristãos. Ele nasceu na cidade de Riese, que viria a acrescentar "Pio X" (nome de Pius X, em italiano) ao nome da cidade.

Pio foi especialmente dedicado a Maria, sua encíclica Ad Diem Illum expressa seu desejo por meio de Maria, renovar todas as coisas em Cristo, que ele definiu como seu motto em sua primeira encíclica. Pio acreditava que não há estrada mais segura ou mais direta do que por Maria para alcançar este objetivo [1]. Pio X foi o único papa no século XX com extensa esperiência paroquial, o interesse pastoral permeou seu papado; Ele favoreceu o uso das línguas vulgares na catequese. A comunhão frequente foi uma duração inovadoura deu seu papado. (Como Comunhão frequente entende-se a Comunhão que se faz todas as vezes que é possível e de harmonia com os desejos e possibilidades de cada um). Pio X, como o Papa Pio IX, foi considerado por alguns como sendo muito franco ou até indelicado. Seu estilo franco e suas condenações não lhe deram muito apoio nas sociedade aristocráticas na Europa Pré-Primeira Guerra.

Seu antecessor tinha promovido activamente uma síntese entre a Igreja católica e da cultura secular, a fé e a ciência;a revelação divina e a razão [2] Pio X defendeu a fé católica contra a visão popular do século XIX, tal como o indiferentismo religioso, o relativismo que seus antecessoces também consideraram perigosos. Ele seguiu o exemplo de Leão XIII, promovendo Tomás de Aquino e sua doutrina como o principal método filosófico a ser ensinado nas instituições católicas. Pio se opos ao modernismo, que alegou que o dogma católico romano deve ser modernizados e misturados com as filosofias do século XIX. Ele viu o modernismo como uma importação de erros seculares que afetam três áreas da fé católica romana:. Teologia, filosofia e dogma [4]

Pessoalmente, Pio combinou dentro de si um forte sentimento de benevolência, compaixão e pobreza, mas também a teimosia e uma certa rigidez [5]. Ele queria ser pastoral e foi o único papa no século XX que deu sermões de domingo toda semana. Sua caridade era extraordinária, enchendo o Palácio Apostólico de refugiados do terremoto de Messina de 1908, muito antes de o governo italiano começou a agir por conta própria [6]. Ele rejeitou qualquer tipo de favores a sua família, seu irmão permaneceu como um funcionário dos correios, seu sobrinho favorito permaneceu como pároco da aldeia, e suas três irmãs viviam juntos perto de pobreza em Roma [6]. Ele freqüentemente se refere à sua própria origem humilde, tendo as causas dos pobres. "Nasci pobre, vivi pobre, e eu gostaria de morrer pobre [7]." Considerado uma pessoa santa por muitos, a veneração popular de Pio XX começou logo após sua morte. Numerosas petições resultaram em um processo inicial de beatificação [7].

Referências

  1. ^ Ad diem illum 5 (http://www.vatican.va/holy_father/pius_x/encyclicals/documents/hf_p-x_enc_02021904_ad-diem-illum-laetissimum_en.html)
  2. ^ Joseph Lortz, Geschichte der Kirche, Münster, 1934, §113
  3. ^ Gregory XVI Mirari Vos, 1832, Pius IX, Syllabus of Errors.
  4. ^ Lortz §113,2
  5. ^ Hans Kühner Lexikon der Päpste, Fischer Frankfurt, 1960 183
  6. ^ Kühner 183
  7. ^ www.franciscan-sfo.org/fviews/pius_x.htm