Sociedades Secretas Non Eczistem !!!

From Wiki
Jump to navigationJump to search

Bom… como vocês ficaram sabendo ontem, o tio Marcelo foi convidado por algum desavisado para ir ao programa Superpop cujo título seria “Illuminati: uma seita que controla o mundo”. O Superpop provavelmente deve ser um dos programas mais… hummm não gostam que eu use aquela palavra… então… mais… “populares” que existem na TV brasileira. Quando soube que o outro debatedor seria o Padre Quevedo, eu não tive dúvidas. Aceitei.

Confira abaixo o diário de bordo desta aventura bizarra no mundo da TV aberta.

Começo

Entrevista para o Superpop

O dia começou bem cedo. Uma equipe do Superpop marcou comigo às 8h da madrugada para começar as filmagens do que eles chamam de “externas” (que são aquelas cenas que eles intercalam durante o programa). Montamos uma mesa aqui na loja de RPG que fica no prédio e arrumei o cenário. Eles pediram para trazer o tal do “Jogo do Illuminati” que segundo algum site evangélico biruta, teria “cartas que previram os atentados de 11 de setembro”.

Foi o começo do festival de loucuras reptilianas que eu tive de ouvir o dia inteiro.

A repórter que veio fazer a entrevista era gente-boa. Não entendia lhufas de RPG ou de Ordens Secretas ou de Mitologia ou de filmes ou livros… (ok… ela não sabia nem quem era o Capitão Nemo, mas tudo bem… ). Expliquei que o World Trade Center era um alvo óbvio para qualquer potência inimiga, sobre o Pentágono, sobre como qualquer ataque militar aos EUA teria o WTC como alvo, que o jogo foi feito em 1991 por um cara nerd que não faz parte de nenhuma ordem secreta, etc etc…

A gravação ficou legal, mas não sei como ficou a edição final. Ainda não assisti ao vídeo e depois coloco um adendo na Coluna com os comentários pós-edição.

A gravação demorou cerca de 2h e eles foram embora. O restante do dia transcorreu normalmente… Examinei os papéis de dominação do planeta, as ordens que deveríamos dar para os líderes mundiais aquele dia, que líderes políticos deveríamos assassinar, novas guerras que deveríamos começar ou acabar e quais religiões deveríamos fundar ou destituir no mês de fevereiro. O mesmo que faço todos os dias… nenhuma novidade.

O estúdio

Aylton, Sottomaior, Quevedo e Del Debbio

Lá pelas 20h, chegou o carro da RedeTV para me buscar. O estúdio fica lá em Alphaville então foram uns bons 45 minutos de viagem, batendo papo com o motorista e me atualizando sobre fofocas que eu não queria saber dos artistas que eu não conheço.

Chegando lá, me levaram para um camarim e uma sala de espera grande, onde estava o cético Daniel Sottomaior. Ele estava caladão e depois descobri por quê. O pessoal da produção falou para ele que os convidados seriam o padre Quevedo, um bispo e dois Illuminati e achei que ele estava meio com medo de mim, ou esperando para não “confraternizar com o inimigo”. Mas tudo bem. Ele pareceu um cara gente-boa.

Ai veio uma cena engraçada: A moça da produção entrou no camarim para conferir se nossos nomes estavam todos certos e tal, para colocar no teleprompter. Ela perguntou se Del Debbio era mesmo com dois “Bs”, um erro que cometem sempre, eu disse que sim, “Del Debbio“. Ai ela vira pro Daniel e pergunta “Sottomaior é com dois Ts, certo? É um sobrenome italiano?” e ele responde “Há controvérsias… parte da minha família acha que é italiano, parte especula que é português”.

A mulher olhou pra mim, eu olhei pra mulher, a mulher olhou pra mim de novo… na hora pensei: “Pô, o cara não acredita nem no próprio sobrenome!”

Logo em seguida, apareceu o padre Quevedo. Que figura!!! Fisicamente, ele é igual ao Sr. Burns dos Simpsons, só que simpático. Ele está sempre sorrindo e é impossível não gostar dele, de tão carismático. Fora das câmeras ele é tipo um “avozinho”… faz piadas, é simpático com todo mundo, só sorrisos… Óbvio que o Quevedo que todo mundo conhece é um personagem inventado. O povo acha que ele é maluco, exagerado e tal, mas aquilo é apenas uma invenção dele para a mídia do gado, para montar um bordão subliminar. O homem, como veremos mais adiante, é um gênio da manipulação das palavras.

O Aylton chegou logo em seguida. Gente boa, tranqüilo… ele viu meu pingente maçônico e um outro detalhe rosacruz e se identificou, mas eu já tinha o currículo de todo mundo ali de cor. Até as datas das iniciações dele eu já sabia. O Bispo G foi o último a chegar e não conversou com ninguém. Ele chegou sorridente e estava de boa, cumprimentou a todos e foi para um canto ver as coisas dele.

Depois, lá pelas 21h30, a produção se reuniu com a gente para passar as instruções: como os 3 (o Bispo, o Quevedo e o Cético) já eram macacos velhos do programa, foi mais uma explicação pra mim e pro Aylton. Coisas do tipo “o programa é ao vivo”, “cuidado com o que vocês falarem, porque o programa é responsável pelo que os convidados disserem”, “nada de xingar a mãe”, “não é pra quebrar o dedo dele se ele falar entorta meu dedo“, “não entrem em pânico”, “levem sempre uma toalha”, “42”, etc…

O programa

Padre Quevedo

Separaram os grupos e foi ai que começou a parecer uma armadilha… ok, eu já sabia que seria uma armadilha… é como no filme Máquina Mortífera, quando dizem para o Mel Gibson “não vá naquele encontro, é uma armadilha” e o herói sabe que é uma armadilha mas vai assim mesmo… pois é. Quando me chamaram, eu já sabia de antemão que iriam tentar aprontar alguma pra cima das Ordens Secretas. É um programa sensacionalista, para pessoas que veneram o pequeno Dolly e apresentado pela Luciana Gimenez, onde vai o Padre Quevedo e cujo tema é “um jogo de cartas influenciou o 11 de setembro”. O que poderíamos esperar?

Mas… como eu adoro um barraco e como o programa é ao vivo, eu não iria perder essa oportunidade única de dar em cima da Luciana Gimenez nos bastidores Conhecimento para as pessoas.

Observação: eu ainda não vi a versão editada que vocês assistiram. O post é sobre como foi a experiência ao vivo. Depois faço um adendo quando assistir a versão editada.

Entraram primeiro os três representantes das maiores religiões do orkut: os católicos, evangélicos e ateus. A apresentadora fez festinha para eles, todos foram muito bem recebidos, só alegrias… enquanto isso, os illuminati ficaram para entrar depois (música sombria, maestro… ).

De onde estávamos sentados não tem como assistir o que estava acontecendo (as únicas TVs que podíamos olhar o que acontecia estavam no alto e sobre a cabeça da Gimenez e toda vez que eu olhava para elas, o FDP do cameraman focava em mim para me fazer parecer distraído ou algo assim, logo no começo do debate).

Entreguei um dos livros de RPG dos Templários para ela e ela ficou folheando durante o debate. Uma das coisas interessantes era que não haviam “leigos palpiteiros” ali. Bem ou mal, todo mundo sabia bem o que estava fazendo. O Padre Quevedo é o maior macaco velho, ele é um gênio e sabe manipular as palavras muito bem. Ele começa com uma série de baboseiras e absurdos, mas que para contestá-lo você precisaria gastar tempo precioso que você não possui. O TEMPO é a principal arma em um debate ao vivo. Quem o dominar vence o debate, independente do que você falar.

Exemplo: uma das merdas que o Padre Quevedo falou foi que a Helena Blavatsky era uma satanista e foi fundadora da Rosacruz. Para desmontar essa imbecilidade, a gente precisaria explicar 1) quem foi Helena Blavatsky, 2) como e porque ela não é satanista, 3) a instituição que ela fundou foi a Teosofia e 4) explicar a diferença entre Teosofia e Rosacruz… ou seja, no mínimo meia hora. Mas ele vomita essas asneiras em uma quantidade surpreendente e ele SABE que está falando merda e fala de propósito.

É diferente de um ignorantão que fala besteiras porque não sabe o que está falando. No caso do Quevedo, ele é metódico e planeja muito bem o que vai falar, quando falar e para quem falar…

Outro exemplo: ele está discutindo com o cético e no meio de uma fala sobre Templários ele acrescenta “E é como os espíritas, que são loucos retardados, ou os umbandistas que veneram o diabo, mas os templários blá, blá, blá”. Como não há na hora nenhum espírita e nenhum umbandista presente para se defender e o cético não vai mexer um dedo para isso, acaba passando, porque para fazer qualquer defesa dessas merdas dele, teria que eu ou o Aylton cortá-los (o que poderia ser interpretado como falta de educação nossa, pois teria de ser algo rude) e nos obrigaria a defender um ponto de vista que talvez não conhecêssemos (a Umbanda, por exemplo). O velhote sabe muito bem disso e usa com maestria esses truques sujos.

Isso e muitos outros. Mais tarde quando ver o vídeo eu desmascaro todos os truques aquele Inquisidor picareta.

E como falei, tempo é tudo no debate. Não daria pra mudar do assunto, os ataques tem de ser feito “de passagem” e precisa pensar MUITO rápido, além de conhecer o que está sendo discutido. Focar no que precisa, bater onde dói e comunicação com o gado…

Luciana Gimenez e MDD

E como Maçons e Rosacruzes tendem a “jogar limpo”, a gente acaba ficando em desvantagem. Claro que seria fácil dar umas patadas nos católicos e evangélicos, mas preferi deixar isso para o Cético. As externas do Aylton me pareceram muito serenas explicativas, o Padre Quevedo fala um monte de coisas desconexas, mas o faz de maneira a parecer inteligente para o gado (não basta ser inteligente, precisa PARECER inteligente).

E que catzo foi aquela dos reptilianos???… fala sério!!! vou ter de fazer um post urgente sobre isso…

Bem… ver tanto um padre quanto um bispo afirmarem que A BIBLIA È UMA ALEGORIA não teve preço… (fora o comentário do barquinho hehehe), Ver o Padre quevedo dizer que “Nunca ninguém foi para o Inferno” também é impagável… quer dizer que o Inferno é apenas um grande BLEFE ?!?!? Uma ameaça Vazia?!?!? e quem disse isso foi um padre… aposto que esta parte do debate vai ser cortada e postada no youtube aos montes pelos ateus e céticos de plantão.

E tem a pérola impagável: “A Igreja nunca matou ninguém na Idade Média”… fala sério… então os templários e as bruxas tropeçavam em alguma pedra e caiam sozinhos na fogueira?

Bem… depois eu junto mais pérolas… Imagino que a versão editada seja mais “show de horror”, pois tinha uma musiquinha e vinhetas bizarras.

De qualquer modo, entre mortos e feridos, conseguimos passar alguma coisa para quem teve de escutar… Como diria aquele cara famoso da bíblia, “Quem tiver ouvidos que ouça”. Muita gente (cerca de 500 emails só durante o programa) curiosa sobre as teorias da Conspiração… não podia deixar site ou endereço ou telefone durante o programa, mas a produção deles pegou o site do Sedentário e eles encaminham os emails com dúvidas para lá… e quem quiser buscar já sabe o meu nome e pode me achar no Google. Se o sujeito não for capaz de achar meu blog com o meu nome completo, quero mais é que ele fique bem longe destes assuntos…

Pelo que acompanhamos depois nos bastidores, o programa atingiu 5 pontos de audiência, o que foi considerado sensacional para a quinta feira, chegando até mesmo a passar a Band. 5 pontos equivalem a 400.000 TVs ligadas no programa.

E hoje eu fui almoçar e a guria que fica no caixa do restaurante perguntou “Você é o cara que foi na TV ontem?”… é… tio Marcelo popstar !!!.

Assim que alguém colocar os arquivos no rapidshare ou youtube me avisa que eu linko aqui na Coluna, please. Ou então pode comentar os melhores momentos na nossa Comunidade no Orkut.

E antes do pessoal aparecer comentando “ah, mas é perda de tempo ir no programa da Gimenez, lá só tem retardado”, é bom lembrar que muitos de vocês cairam aqui na coluna de para-quedas pelos motivos mais absurdos possíveis e que a egrégora faz com quem precise chegar até aqui chegue. Já recebi pelo menos 20 emails de gente que estava zappeando nos canais e achou o programa “sem querer”.

É, crianças, As Egrégoras (plural) eu eu trabalho são MUITO fodas… pode ter certeza que mesmo se eu for na “Praça é Nossa” ou no “Fala que eu te Escuto”, quem estiver no nível de consciência certo encontra o caminho até aqui… “quando o aluno está preparado…”

Este processo faz parte de uma ritualística bem maior e bem mais complexa do que dá pra explicar aqui, mas quem está acompanhando a história da coluna sabe onde começamos, onde já estamos e pode ter uma noção de onde vamos chegar.

O segundo ponto é que eu não estou nem ai pra convencer o Quevedo, Daniel, Luciana Gimenez ou Bispo G de nada… o que me interessa são os 400.000 televisores que estão assistindo. quem se importa se ela aprendeu ou não o que é RPG e o que é Illuminati? Um debate não é feito para convencer o oponente, é feito pra convencer a massa que está assistindo, crianças.

Gostaria que quem assistiu ao programa colocasse suas impressões, mesmo porque como o programa deu muito ibope e a Luciana foi com a minha cara, provavelmente ainda participaremos de mais programas e é bom ver todas as impressões para prepararmos mais estratégias para a próxima vez.